13 de mai de 2009

EXEMPLO (by RM)


Cena da peça Lisístrata - A Greve do Sexo, do poeta ateniense Aristófanes.


Mulheres de Atenas (Chico Buarque e Augusto Boal)

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos, orgulho e raça de Atenas
Quando amadas, se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem, imploram
Mais duras penas
Cadenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Sofrem por seus maridos, poder e força de Atenas
Quando eles embarcam, soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam sedentos
Querem arrancar violentos
Carícias plenas
Obscenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros maridos, bravos guerreiros de Atenas
Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar o carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas
Helenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos os novos filhos de Atenas
Elas não têm gosto ou vontade
Nem defeito nem qualidade
Têm medo apenas
Não têm sonhos, só têm presságios
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas
Morenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Temem por seus maridos, heróis e amantes de Atenas
As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas
Não fazem cenas
Vestem-se de negro se encolhem
Se confortam e se recolhem
Às suas novenas
Serenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos, orgulho e raça de Atenas



Não sei quanto da letra coube ao Chico e ao Boal, célebre dramaturgo brasileiro, recentemente falecido (mais aqui). Genial letra que dialoga com a Odisséia e a Ilíada (atribuídas a Homero) e foi totalmente incompreendida pelas feministas brasileiras...


.

6 comentários:

Mariana Moralles disse...

Oi querido! Pois é...meu sorriso está temporariamente fora do meu rosto! Mas só temporariamente! Algumas coisas em nossas vidas acontecem de forma inesperada, e são como verdadeiras bombas! Mas....a vida é bela...e logo logo meu mundo volta a brilhar feito ouro em pó em dia de sol! Muitos beijosssssssssss

Flavio Ferrari disse...

Essa peça (Lisistrata) é genial.
A tragi-comédia grega era considerada um gênero menor (os gregos valorizavam mesmo a tragédia).
Pessoalmente, acho que o humor é a melhor forma de estimular o pensamento, porque mais subliminar...

Udi disse...

Pois é, num primeiro momento, a mulherada radicalizou e saiu condenando (degolando?) Amélias e Penélopes. Erraram (erramos?) na dose...
A canção é maravilhosa!

Avassaladora disse...

rm, a letra é fenomenal...
É o retrato de uma época...
Época das Mulheres de Atenas... Acho que, sem querer mexer com nenhuma delas, faltou as feministas analizar a música dentro do seu contexto...
Até a nossa tão famosa Amélia, perde para essas mulheres!

Agora, sem querer causar nenhuma polêmica, será que as mulheres de hoje são ou estão mais felizes que essas Mulheres de Atenas?

Vixe, vou-me embora... Acho que tô falando demais...rsrsrs


PS: Vejo também essa música, como um grito masculino contra o movimento feminista, que radidicalizou, fazendo com que a mulher perdessse sua faminilidade...

Será que é isso, rm ? rsrsrs


"Livre pensar, é só pensar"

rm disse...

Ei Mariana,
não seria por esta sua posição (na foto), de cabeça pra baixo, que a impede de enxergar melhor o quanto é bonito seu sorriso? rss

Flávio,
concordância integral. Esta peça fez muito sucesso no Brasil, certa época. A tradução, direta do grego, é do Millôr Fernandes.

Udi,
acho que as feministas não entendem até hoje...

Ava,
sua opinião é muito boa, não se acanhe! Os autores da música sempre alegaram o oposto: de que era para se mirarem (como num espelho) para não se comportarem do mesmo jeito... O que você acha?

Avassaladora disse...

rm, tb entendí essa parte errada...
Também, analisar Chico Buarque e Boal...

Putz, tadinha de mim...rsrsrsrs


Beijo avassalador!