2 de out de 2009

"El sonido y el abecedario" (by RM)



“La muerte no es tan importante como la vida. La gente solo se assusta se no ha sembrado nada.” (Violeta Parra)







Violeta Parra (1917-1967), mais importante compositora chilena, cantando um de seus clássicos, Gracias a la Vida. A canção, que teve interpretações extraordinárias e emotivas, como as de Elis Regina e Mercedes Sosa, recebe aqui tratamento distinto, quase sussurro. Linda!
.

9 comentários:

Udi disse...

"Con ellos distingo
dicha de quebranto
los dos materiales
que forman mi canto
y el canto de ustedes
que es el mismo canto
y el canto de todos
que es mi propio canto"

Adoro esta canção!
Que bom lembrar Violeta Parra!
obrigada, parceirim!

Daniel Savio disse...

Bonita cançao, principalmente com parte da letra colocada pela a Udi.

Fiquem com Deus, menino RM e meninas.
Um abraço.

Luna Sanchez disse...

Que linda, um afago na alma!

Essa doçura toda me fez ver um cenário simples, uma mulher envolvida com tarefas corriqueiras, mas feliz e satisfeita, realmente agradecida, cantarolando, andando descalça pela casa...rs.

Música boa é o que há.

Beijo, RM.

ℓυηα

rm disse...

Ei Udi,
também gosto. Mas esta versão, muito mais "soft" que outras me encantou...
De nada, querida; estamos aí, nas paradas de sucesso... rss

Daniel,
agradeço a participação, sempre gentil. Olha aí a letra completa:
"Gracias a la vida, que me ha dado tanto
Me dió dos luceros que cuando los abro
Perfecto distingo lo negro del blanco
Y en alto cielo su fondo estrellado
Y en las multitudes el hombre que yo amo
Gracias a la vida, que me ha dado tanto
Me ha dado el oído, que en todo su ancho
Traba noche y dia grillos y canarios
Martirios, turbinas, ladridos, chubascos
Y la voz tan tierna de mi bien amado
Gracias a la vida, que me ha dado tanto
Me ha dado el sonido y el abecedario
Con él las palabras que pienso y declaro
Madre, amigo, hermano y luz alumbrando
La ruta del alma del que estoy amando
Gracias a la vida,que me ha dado tanto
Me ha dado la marcha de mis pies cansados
Con ellos anduve ciudades y charcos
Playas y desiertos, montañas y llanos
Y la casa tuya, tu calle y tu patio
Gracias a la vida, que me ha dado tanto
Me dió el corazón que agita su marco
Cuando miro el fruto del cerebro humano
Cuando miro el bueno tan lejos del malo
Cuando miro el fondo de tus ojos claros
Gracias a la vida, que me ha dado tanto
Me ha dado la risa y me ha dado el llanto
Así yo distingo dicha de quebranto
Los dos materiales que forman mi canto
Y el canto de ustedes que es el mismo canto
Y el canto de todos que es mi propio canto"

Ei Luna,
sim, dá mesmo esta impressão. Mas, curioso, parece que esta foi a última canção que ela compôs, antes de cometer suicídio, em 1967.

Helô Müller disse...

Um "Kit" escolhido a dedo, para o deleite de nossos ouvidos e coração!
Esta canção nos fala à alma, um hino de pura sensibilidade e louvor à vida... E pensar que uma pessoa como ela tenha se suicidado!?...
Talvez as pessoas sensíveis ao extremo, cheguem mais facilmente às raias do que possa ser talvez chamado de uma "lúcida loucura"...
Sei lá... fica até difícil tentar se explicar alguma coisa !
Ouçamos, pois !!
Brigadim, viu Rm ?! rs
Besos
Helô

rm disse...

É bem possível que você tenha razão, Helô; mas parece que a coincidência de um certo fracasso profissional e desilusão amorosa serviu de gatilho...

Eu quem agradeço pela simpatia. Gracias (e a la vida)!

Udi disse...

Ei parceirim!
Viu só a sincronicidade deste post com a partida da Mercedes Sosa?

Capitu disse...

Antes de ler o comentário final da Udi, era o que estava por escrever ao simplesmente perceber o título do post... Era (e continuará sendo) uma das minhas intérpretes preferidas... Uma salva à Violeta Parra! Mas meus eternos “gracias” serão à força da voz de Mercedes Sosa... :(

Olá, RM! Saudades...

Beijinho

rm disse...

Udi,
materialista como o seu pobre amigo, só posso achar que não passou de mera coincidência. Ainda bem que tenho amigas mais sábias, não?

Capitu,
sim; certas cantoras, como as mencionadas no textinho, tem essa força na voz, que fala e soa mais que as próprias composições.
Eu também tenho sentido sua falta, mas é a senhorinha que está meio sumida, não?