5 de ago de 2009

minha boneca (by Tetê)




ela ficou sozinha
cercada de solidão e silêncio
jogada
em meio aos destroços no fundo de um armário

como se chorasse, como se
sofresse, coitadinha

como se soubesse que um dia
as bonecas da vida também
ficam
jogadas num armário qualquer
depois que o brinquedo
termina

.

49 comentários:

A.Tapadinhas disse...

As bonecas da infância, que não foram jogadas fora, valem agora fortunas nos coleccionadores...

É como os relacionamentos: às vezes, aquele que jogamos fora, mostra ser melhor...

A boneca, podemos recuperar; o relacionamento não... as cicatrizes deixam uma marca profunda!

Beijo.
António

Maldonado disse...

A solidão e o abandono são sentimentos negativos que abalam profundamente o nosso âmago.
A arte está em saber seguir em frente... A vida é tão curta para ser desperdiçada com auto-comiseração.

Thiago Maia disse...

Que analogia bacana... Infelizmente, a vida prossegue e as bonecas da vida vão sendo jogadas de lado. Algumas serão reutilizadas, outras esquecidas pra sempre.

Beijos Tetê

ToXico disse...

Cá estou eu, só para te demonstrar a minha solidariedade, e para saberes que podes contar sempre com este teu amigo e leitor!...

rm disse...

Ei Tê,
muito bom texto.

Mas "o brinquedo termina"?

Anônimo disse...

O problema todo é quando o brinquedo é roubado.

Roubado não, furtado.

O furto se configura quando o autor do crime se apropria de um objeto ou qualquer outra coisa que ele não tenha posse(e não tinha) e nem o direito(que tb não tinha).

Esse crime se qualifica quando o ladrão precisa transpor uma barreira ou usar de destreza(com usar um login e senha).

Pronto, falei.

Anônimo disse...

(como* usar um login e senha).

Blue disse...

Estas bonecas são de pano, portanto sem vida. Melhor, muito melhor é viver a vida, no real, com sol e chuva, onde se sente o correr do sangue nas veias quando nervoso se fica. Siga em frente, que atrás sempre vem mais gente. Na vida, ainda bem, nosso coração bate sem estas maluquices de, digamos, acessos por códigos, basta alimentá-lo, com amor, casrinho...

Beijos

Luna Sanchez disse...

As bonecas da vida reagem, reinventam a brincadeira, brincam de outras coisas, riem das suas próprias invenções.

Em suma : as bonecas da vida só são coitadinhas se quiserem ser.

* Gostei do texto.

Beijos, Tetê e RM, dois para cada um. ;)

ℓυηα

rm disse...

Prezado anônimo,
se quiser tratar de questões pessoais aqui, sugiro que ao mínimo se apresente.

Do contrário excluirei seus comentários.

Mariana Moralles disse...

Mas a boneca logo logo será encontrada dentro do armário! :)
Isso sempre acontece, querida! Bom dia pra vc e mts beijos!

rm disse...

Prezado anônimo,
foi-me esclarecido o teor de seu comentário.

Eu o manterei, apesar de considerar que talvez não seja o local mais adequado.

Ava disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ava disse...

Metáfora complicada, tetê..

Não são só as bonecas que ficam jogadas no fundo armário...

Deixamos também os bonecos...


"An eye for an eye, and a tooth for a tooth..." rs


Beijos!

Udi disse...

Tê,
ainda bem que era apenas uma boneca.
Quanto às "bonecas da vida", essas são dotadas de capacidade de ação e podem ir ao encontro de seu Gepeto.
beijo carinhoso

EuEle disse...

Enquanto boneca pode ate ser esquecida no armário. Mas se deixar de representar este estereótipo, pode sair, quem sabe como um trator e passar por cima daquele que quis te aprisionar no escuro
Paulo

Léria Nunes disse...

Tê,como sempre viajo nos seus textos! Vc brinca com as palavras de um jeito ímpar,só seu! Isso pode algumas vezes despertar inveja e despeito,mas d q adianta?? isso é seu! Ngm tiraa!

Adorooooo vc!e espero ler muitas coisas q vc escreve aindaa! Quando eu crescer quero ser igual a vc!Não tenho inveja...apenas me inspiro em ti...assim todos deviam fazer!

bjaooooooo

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

hehe. verdade , muito bom!

--

A menina tadinha dela, fiquei com dó... uma boneca que vai ser jogada assim... ao léu!
Me comove essas coisas!

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Obrigado pela sua participação lá!
Volte sempre que puder!
Assim como eu sempre virei pra ver as novis'
bjo

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Tê, senti sua falta, viu? Fui lá no seu outro blog e só vi o Jota. Agora vejo que o "com camisinha" fechou. Uma pena, viu? Mas ó, a vida é cheia de novas estradas, novas emoções e palavras. E bonecas podem até ficar num canto jogadas, mas o sentimento que criamos por elas vão bem além. Ei, gostou da cantiga, foi? Eu fiquei emocionada demais quando escutei. Arrepiou foi tudo! É uma campanha que fizeram promovendo a paz através do mundo. Existem algumas versões de algumas músicas nesse estilo, mas, na minha opinião, "stand by me" foi a melhor.

O vídeo é esse:

http://www.youtube.com/watch?v=Us-TVg40ExM

Beijo grande, bem grandão e não some de mim.

Rebeca

-

Denise disse...

Brinquedos deixam de ter serventia para TODOS,quando algum tolo não percebe o quanto ele é especial?
TETE to tentando entrar em contato com vc e nem encontro um email.
adicione-me por favor ao msn
licia_sp@hotmail.com
Preciso e quero falar,por gentileza
beijo
Denise

KrystalDiVerso disse...

Bonecas!... Começam por ser desejadas desde crianças, pelas crianças e há fases da vida em que a boneca assume um confuso e inanimado poder de não ser distinguida como tal, e exige-se que coma, beba, e até que se porte mal para que possa levar ums açoites bem ao jeito da criança que quer ser mulher, que um dia será mulher!... O domínio sobre a boneca é é uma fase de admirável afirmação feminina, que quer cuidar, proteger, educar... constituir uma família de "admiráveis Bonecas"!...
Depois, os não menos admiráveis Bonecos complementam o sentido do que se quer constituir e todos são Ken a desejar Barbies, de preferência, louras, esbeltas e ricas!... E todos os Ken (boneco) tem enorme necessidade de exercer um macho domínio sobre a boneca para que se sinta completo em toda a sua plástica e admirável virilidade!... Mais uma vez, deseja-se a boneca que acaba, não raro, entre mãos de outras bonecas, entre barços de acolhimento, soluços no peito, de solidariedade; algumas acabam mesmo numa boneca de trapos e, naõ fossem bonecas, poderiam ser mesmo trapos humanos... sem culpa!
Bonecas esquecidas, bonecas castigadas, bonecas sem brilho... Barbies caídas em desgraça, enganadas, crentes e admirávelmente... louras!
Sempre Bonecas!... Sempre admiráveis!

Escolha entre... beijos e abraços

loirices disse...

li o fim de qualquer história, é uma arte conseguir terminar bem :-)

Cris Animal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris Animal disse...

Oi Tetê...chegando por aqui e retomando o mundo do blog!
"Nas voltas da vida"....rs

E...nessas voltas a gente perde nossos sonhos que so confessamos as nossas bonecas e elas se perdem de nós ou nós delas, tanto faz; o pior é quando essas bonecas possuem alma e deixam em nós alguma coisa a mais do que um vestidinho empoeirado no fundo do closet!
Seu texto me fez lembrar tanta coisa, Tetê... me levou por tantas lembranças que eu há muito não trazia à tona!

Acho que o momento da minha vida está bem pra isso: vamos rever as bonecas, abrir as caixas empoeiradas e sacar: a vida é um sopro que leva até essa poeira.

Lindo , singelo e tremendamente convidativo a refletir. Adoro isso.

beijo grandeeeeeeeeeeeeeee

A.S. disse...

TetÊ


As bonecas da vida, apenas precisam de não se deixarem fechar no armário! Saber que na vida existem momentos lindos para serem desfrutados! Viver cada emoção como se fosse a última... olhar a vida olhos nos olhos! com determinação e coragem!
Se assim for... ainda brincarás com as tuas bonecas de trapo...


Beijos!

Simone Schuck disse...

Nossa, intenso. E lindo. É, o brinquedo termina. Tudo passa a ser sério, até o que não parece.

Obrigada pelo comentário gentil! Um beijo!

O amor e etc. disse...

A sensação de ser descartável é mesmo terrível. Já me senti descartável tantas e tantas vezes.
Gostei do texto, beijos.

©tossan disse...

Já quebrei umas bonecas da minha irmã com os meus carrinhos. Coisas de criança levada! Mas agora, bem depois vejo a poesia nas verdadeiras bonecas da vida real! Bela poesia! Beijo

Escrevo Palavras e choro poemas disse...

As vezes somos tratadas como bonecas...amei o poema querida! bj*

Helô Müller disse...

Nem sempre gostaríamos de ser tratadas como bonecas, mas infelizmente, às vezes, assim acontece, e lamentavelmente descartadas, tão logo surja um brinquedinho novo no mercado!!
O que mais nos incomoda é que fomos "gente" o tempo todo, sem termos nos dado conta de que não passávamos de meros brinquedinhos em mãos alheias...
Bela metáfora, Tetê !! Gostei ...
Helô

Cleo disse...

Tetê, Ava, que são as que conheço. Iupi!!!!! Tetê que bom que você me clicou lá no meu blog e não perdi o contato.. Sei que o blog fechou, o anterior, li no comentes da Rebeca, uma pena, mas a vida é feita de mudanças, novos caminhos,novas aberturas, adoro isto. Fui obrigada a ler todos os comentários para me situar. Mas penso que as bonecas aqui devem se levantar da solidão e do silêncio, devem não se sentirem coitadinhas, devem não chorarem, não sofrerem. Devem se levantar de onde foram jogadas, abrirem a porta deste armário e darem seu grito de liberdade. A vida acontece a todo instante, a brincadeira continua, o brinquedo nunca termina, sempre é possível haver alguém que queira brincar com esta tal boneca, só que ela tem de sair do fundo do armário para ser vista e desejada, para isto é preciso uma reciclagem, roupagem nova, sacudir a poeira e dar a volta por cima....rsrsrsrs kakakakakaka
detesto este meu sentir....mas enfim..
Tetê adoro você.
adorei o blog. já estou favoritando.
Beijos minha linda.
Cleo

Ana Camarra disse...

Sabes eu não gostava muito de bonecas quando era pequena....

Beijo

Blue disse...

Andando sem rumo,
bate denovo aqui.
Quero ser boneco,
Quero achar uma boneca,
Não para brincar de bonecos e bonecas,
Quero apenas fugir da solidão!

Beijos

Anne disse...

É só abrir os armário e deixar entrar ar novo e vida. Um passo de cada vez Tetê... um de cada vez mas com a cabeça erguida!

Beijão

Anne disse...

Belo poema...

Candinho Anjo disse...

Bom dia Tetê.

Cada cabeça uma sentença... O que me parece que, se fosse com você jamais ficaria jogada às traças,
nem uma e nem outra.

“Se sentir uma brisa roçar
Seu rosto suavemente
É o meu jeito de te desejar
Um bom dia docemente”

Beijos.

Cadinho RoCo disse...

Mas a boneca continua lá para quando a lembrança quiser resgata-la.
Cadinho RoCo

Déia disse...

ai que triste...

Como tudo na vida que "saiu do foco" né? ficam lá no canto...

se gritassem.. imagine o barulho?

Caricaturas Urbanoides disse...

As bonecas só ficaram jogadas SE e TALVEZ" permitirem ser assim tratadas.

Obrigada pela visita no blog.
Volte sempre

Atreyu disse...

Poema tão mimoso s2___s2
As bonecas são abandonadas com a avançar dos anos...

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

O tamanho e a qualidade do armário é a boneca (da vida) quem define; um suposto armário, pode virar um universo a desbravar; se o outro for procurar por ela de novo, ela já partiu para as novas fronteiras do tal armário há muuuuuuito tempo, e já está em outra...
Gente que vale a pena não trata outras gentes como se fossem bonecas descartáveis...
Bjs!

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Obrigado pela sua visita.

Sobre bonecas não sei dizer nada de significativo, a não ser do ponto de vista psicológico. É um brinquedo feminino! :)

Epee disse...

@@

nenhuma boneca largada dentro do armário sobrevive à dor,
nenhuma boneca sobrevive à solidão de si mesma, quando abandonada
a própria sorte...


deem-lhe vida nova, roupas
novas, deem-lhe até novo nome, nada disso faz o tempo voltar...


as palavras escapam, o sentimento
não escorre, e a vontade é
só uma: torcer pra que o armário
também se acabe em traças e cupins
e ela seja finalmente
despejada ao lugar que lhe restou:
ao lixo de si mesma.





@@

TetÊ disse...

RM,

obrigada, por tudo, vc foi bom amigo (aliás, como sempre!)
e a todos aqui também...


O tempo de "boneca" acabou,
hora de ler livros de
conteúdo adulto (bem como um amigo me fez compreender)
e deixar de sonhar,
de acreditar.

O remédio ainda por pior que seja,
é meu,
fiz por seu merecimento,
ou por qualquer
que seja a medida...
Mas este gosto é meu, somente
meu, e se, em dose,
excessiva, ele se transforma em
veneno... pois que seja,
ainda assim é de meu merecimento.


Pague à vista, de resto!



Abraço a todos, de coração,
forte abraço.

Bala Salgada disse...

Muito bem escrito!
Blog novo?

Beijos.

TetÊ disse...

Balinha,
aqui é uma espaço onde solto o verbo...



:0

TetÊ disse...

RM, obrigada.

rm disse...

Ei Tê,
eu que agradeço, querida. E, como já cansei de falar: a casa é sua!