6 de set de 2009

A AMANTE (by RM)
















O Encontro (Ismael Nery)


Poema da amante


Eu te amo
Antes e depois de todos os acontecimentos,
Na profunda imensidade do vazio
E a cada lágrima dos meus pensamentos.
Eu te amo
Em todos os ventos que cantam,
Em todas as sombras que choram,
Na extensão infinita dos tempos
Até a região onde os silêncios moram.
Eu te amo
Em todas as transformações da vida,
Em todos os caminhos do medo,
Na angústia da vontade perdida
E na dor que se veste em segredo.
Eu te amo
Em tudo que estás presente,
No olhar dos astros que te alcançam
E em tudo que ainda estás ausente.
Eu te amo
Desde a criação das águas, desde a idéia do fogo
E antes do primeiro riso e da primeira mágoa.
Eu te amo perdidamente
Desde a grande nebulosa
Até depois que o universo cair sobre mim
Suavemente.


Adalgisa Nery (1905-1980), escritora, jornalista e parlamentar brasileira, nasceu no Rio de Janeiro em família humilde, ficando órfã ainda criança e cursando apenas o ciclo primário.
Casou-se aos 16 com o pintor Ismael Nery, um dos precursores do modernismo nas artes plásticas no Brasil; dele enviuvando aos 29, aí iniciando sua carreira literária.
Conviveu com grande parte da intelectualidade brasileira e mexicana e, ao fim de um segundo casamento, dedicou-se ao jornalismo e à vida parlamentar, sendo eleita deputada pelo PSB (Parido Socialista Brasileiro) e MDB (Movimento Democrático Brasileiro), tendo seus direitos políticos cassados em 1969, pelo AI-5.
Morreu na miséria, em um asilo para idosos (aqui e aqui para uma biografia e aqui para uma seleção de seus poemas).


17 comentários:

Ava disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ava disse...

Belo, rm...

Voce é intenso em suas postagens...


Uma bela escolha.


Bjs

Udi disse...

Coisa mais linda, parceirim!

...e eu tava aqui preparando um post para, coincidentemente, falar também "te amo".
Vou esperar mais um pouco que estes versos carecem de ficar aí, destacados para soar aos 4 ventos.

"Antes e depois de todos os acontecimentos
...
E antes do primeiro riso e da primeira mágoa"

Obrigada por mais esta "revelação"!

(uma parlamentar que morreu na miséria deve ter valido cada voto - senão mais - que recebeu!)

Luna Sanchez disse...

Adoro essa visão do amor : declaração, comunicado, confissão, intensidade, mas sem a apelação da dor, do sofrimento todo.

Correspondido ou não, compartilhado ou não, nem sempre vem ao caso. Sentido, só. Bem simples, evitando grandes confrontos.

Muito bonito. Gostei, RM.

Beijos de domingo, véspera de uma segunda em que não se precisa acordar cedo...rs.

ℓυηα

rm disse...

Ava,
agradeço o elogio, querida; mas não só nas postagens... rss

Parceirinha,
ah, mas a preferência é de vocês... Faz a postagem assim mesmo, qual o problema?
É o que dizem seus biógrafos...

Luna,
pelo que se sabe da autora (muito bonita e sedutora, estilo femme fatalle) é mais provável que ela não tenha correspondido a muitos outros amores, inclusive também declarados...

Daniel Savio disse...

Amr ante a tudo e a todos é realmente o ideal, mas será que conseguimos amar tão verdadeiramente assim?

Mas belo texto...

Fique com Deus, menino RM e meninas.
Um abraço.

Luciano Braz disse...

Perfeito poema ...
Intenso, transmite verdade!

caminhei um pouco pelos corredores deste lugar, gostei do que vi e li!

Agradeço a visita e palavras deixadas, espero que ao poucos possamos dividir sentimentos e tornarmo-nos amigos.

parabéns a todas que compoem este belo espaço!


Abraço
Luciano Braz

Luciano Braz disse...

apenas uma ressalva, parabéns e todas e todos rsrs!

Abraços !

rm disse...

Daniel,
agradeço a sempre simpática participação.
Bem, textos literários, principalmente os bons textos, sempre permitem mais de uma interpretação, não é mesmo? Nesse caso, e considerando-se o título escolhido pela autora, talvez ela se referisse às qualidades ideiais de uma hipotética amante...

Luciano Braz,
bem vindo. Agradeço o simpático comentário. A propósito, o "todos" agradece em nome de todas... rss

Denise disse...

Mesmo em momentos de silencio por aqui(adoro ouvi-los) não deixei de sentir daqui toda intensidade que ha neste poema.

lindo demais
carinho

Helô Müller disse...

Isto é que é amor incondicional...
Extremo bom gosto na escolha, tanto da poesia quando da tela de seu ex!
Grata pela revelação de sua história de vida; conhecia alguns de seus trabalhos, mas desconhecia tudo sobre ela...
Apesar de seu triste final, gostei de saber !
Quanto a sua intensidade em TUDO, é facilmente percebível sim !! rs
Beijos
Helô

Helô Müller disse...

P.s. Referi-me a sua, RM !!rs

rm disse...

Ei Denise,
agradeço o gentil comentário.
É verdade, a turma aqui costuma falar mais que a boca (rss), mas afinal estamos em pleno feriadão, né?
E você? Sinto falta de seus posts...

Helô,
a autora teve uma vida intensa e atribulada. Seu segundo casamento foi com ninguém menos que o chefe do DIP de Vargas, uma espécie de censor da ditadura varguista (1937-45). Mais tarde foi cassada pelo AI-5 e, ainda assim, foi bastante patrulhada pelas esquerdas da época por ter aceitado morar, de favor, numa casa do apresentador Flávio Cavalcanti, a quem tinham como colaborador do regime.
Quando da sua morte, Drummond teria dito: "todos nós a amávamos"...

ROKERHUNTER disse...

A frustração da mesa de poker. Há lugar para mais frustradas? O desespero da "quadratura do círculo". Não deixa de ser interessante evolução a solitária caminha do aconchego. Parabéns.

Hipocrisia?
Resposta?
Ou apenas frustração?
Ou falta de carácter?
Ou falta de tudo?
Ou um mundo muito pequeno que vos esmaga o discernimento?
Ou coisa pior?
HIPOCRISIA PURA do desespero.

rm disse...

Pois não, desejo o mesmo para você.

Celine Ramos disse...

O amante sempre atrai.

Beijos, RM

rm disse...

Ei baianinha,
ô se atrai!

Mas peraí: atrai o que? rss